Arquivo de Agosto, 2012

PAT MARTINO LICKS

Pat Martino nome artistico de Pat Azzara é sem dúvidas um dos maiores guitarristas de jazz de todos os tempos. Dono de uma sonoridade própria e técnica impecável, Pat constrói lindas frases com sua famosa guitarra Gibson Pat Martino. Ele utiliza com muito bom gosto cromatismos, arpejos, escalas alteradas, entre outros recursos. O seu estilo de improviso “conversão ao menor” com a utilização de menores relativas é sem sombra de dúvida um sistema muito interessante. Memorize e compreenda os licks a seguir e aplique-os também em outras tonalidades e temas no seu dia a dia.

(mais…)

MATT SCHOFIELD – SOLO IMPROVISE

Os leitores regulares já tem conhecimento do talento do Reino Unido Matt Schofield. Se você não escutou Matt “The Trio, Live”, então eu sugiro que você faça isso o mais rápido possível O material deste estudo, contem um deslumbrante improviso 12-bar solos, cheios até a borda com grandes idéias para que você absorva em seu próprio estilo, e especificamente, com o “suavizar” na digitação ao longo de um simples I- IV-V (12-bar blues) progressão, acrescentando um pouco de conteúdo mais melódico, com ‘adaptação’ do seu solo para os acordes: basicamente ficar longe de como atacar a pentatônica menor sobre a coisa toda, mantendo um ambiente bluesy.

(mais…)

SMOOTH JAZZ – RONNY JORDAN STYLE – JAZZ FUNK

Nos anos 90 quando o Acid Jazz inundou as rádios, Ronny Jordan foi levantando uma tempestade com uma reformulação impressionante do seminal Miles Davis então o que, “Eu tive que reescrevê-la senão ia ficar um inferno de uma maneira ou de outra, para os puristas do jazz”, diz Ronny. Combinando grooves de hip-hop com drums com uma base sólida de jazz-guitar, Jordan seguiu “So What” com o álbum, “The Antidote”(1992) que apelou ao jazz e no-jazz fãs. Liberando mais dois álbuns durante meados dos anos 90 (“Quiet Revolution” “, de 1993, e Light To Dark, 1996), ele aperfeiçoou sua marca registrada do som do jazz groove e assinou contrato com a Blue Note em 1999 para dois álbuns bem recebidos (A Brighter Day, Off The Record ). Seus dois últimos lançamentos o deixaram reposicionado como um dos “jazz statesmen” mais calmos ‘, e muito à vontade com sons contemporâneos como com interpretações apelativas de jazz standards.

(mais…)

CREATIVE ROCK 1 – BITONALIDADE

Neste estudo o nosso consultor criativo Shaun Baxter (GT Magazine April 2009) mostra uma forma de produzir pegando de ouvido efeitos dissonantes, tocando duas tonalidades ao mesmo tempo … Sobrepor “ALGO” de uma chave em cima do outra permite que você use cada idéia musical em qualquer uma das 12 chaves diferentes. Ele também irá permitir que você introduza pegando no ouvido tonalidades dissonantes em seu toque de uma forma que soe confiante e convincente.

(mais…)