SATCH BOOGIE – Álbum Surfing With the Alien (1987)
Para comemorar o aniversário de 25 anos de “Surfing With the Alien”, um clássico da guitarra instrumental de todos os tempos e tocar junto com um backingtrack feito sob medida, trazemos a transcrição de “Satch Boogie”. Richard Barret (guitar instructor de GT Magazine) é o seu guia interplanetário … portanto coloque cordas novas  e boas palhetadas!

<><><>

<><><>

===============================================================

                                      

===============================================================

 Foco da técnica: Criação de notas

Joe é muito adepto de todos os tipos de manipulação de seqüências complexas, mas essa transcrição pode ser dividida em três categorias principais de criação de notas [notes creation]: Legato, Alternate Picking e Tapping. A técnica utiliza o legato [mão da escala] para gerar notas martelando e puxando para fora [hammer-ons e pull-offs], apenas escolhendo ocasionalmente. Uma boa dica para tocar Legato é manter o mais relaxado possível e evitar o movimento excessivo. Para a fluência da questão, Joe é favorável a esta abordagem sobre palhetada alternada, nossa segunda categoria. No caso, cada nota é escolhida com a alternância de baixo e para cima(ou para cima e para baixo) “up-strokes e down-strokes.” A “economia em movimento” [economy motion] mesma política se aplica aqui, mas desta vez para a mão direita e do pulso também. Confira como executado no compasso 55 para um exemplo de palhetada alternada em ação. Finalmente, há o Tapping. A seção intermediária longa utiliza a técnica do dedo mais convencional baseado (como Eddie VanHalen) saindo da cadeia com um movimento lateral, mas no compasso 71, Joe usa o lado da palheta para um mais rápido, um efeito mais “máquina-trituradora”.

Legato playing   –   Harmonics and Whammy bar tricks   –   Tapping with the pick

===============================================================

  • [Intro] 

Aguarde o hi-hats, em seguida, o tema principal vem com o volume ligeiramente em Back off, para reter detalhes da nota, tanto quanto possível. Outro dispositivo para o mesmo fim é Palm Mutting  seletivo em cordas mais baixas. Isso pode resultar no ritmo soando um pouco “esticado” neste momento, mas tudo bem.

===============================================================

  • Compasso [29]

Joe tende a realizar esta com um Pinch harmonic, alcançando mais de sua mão da escala para manipular a alavanca [bar whammy]. No entanto, você pode obter resultados semelhantes com harmônicos naturais e um “standard bar technique”.

  • Compassos [33, 38, 49-50]

O “solo de guitarra” principal começa no compasso 32 com uma sensação bluesy, mas desloca as engrenagens à medida que progredimos. Há lotes de “bouncy” pull-offs, como os dos compassos 33,38 e 49-50. Mais uma vez, a prática destas pequenas seções é necessária até que a técnica particular de cada um deles seja dominada.

===============================================================

  • Compasso  [58]

Há muitos Pinch Harmonics ao longo da pista,alguns dos quais completamente substituem a nota original (especialmente a do compasso 57), embora para os outros basta adicionar um tom de percussão que lembra de Billy Gibbons’playing – dos quais Joe é um grande fã.

===============================================================

  • Compasso [72]

Aqui está a seção tocando o famoso lightening-fast tapping  [relâmpago-rápido!] Para alcançar o tom de Joe com clareza aqui, use a borda da palheta e não o seu dedo, pois de outra forma, poderá resultar numa má postura e grave. Você pode achar que enrijecer seu braço até pode ajudar a velocidade – graças a Deus é por um período curto de tempo!

  • Compasso [80]

Estes hábeis double-stops são digitados em Alternate Picking , embora liberando seletivamente  a pressão da mão da escala pode ajudar com a definição também.

===============================================================

  • Compassos  [100-137]

Usando a técnica de tapping mais convencional com o dedo, esta seção emprega um efeito flanger slow por toda parte. Se você não tiver um, não se preocupe. Joe tende a deixar efeitos de fantasia no estúdio e toca ao vivo esta com apenas lotes de amps e distortion e um pouco de echo, que ele deixa na maioria das vezes. Com esta peça inteira Joe toma algumas liberdades no palco, embelezamento ou variáveis em determinadas seções, por isso não me sinto vinculado por detalhes excessivos. Se parece bom, é bom!

<><><>

<><><>

===============================================================

  • Compassos  [141-168]

Voltar  para a introdução de novo para terminar. Não se esqueça de retornar a esta página de novo para os compassos 165 até o fim. Estes são uma reminiscência de toques ala Pete Townshend chords . Bons sons e não esqueça que a música tem que ser uma coisa divertida!  Até a próxima!

article source: GT Magazine 2008 Spring

 ===============================================================

<><><>

===============================================================

eBook  original completo

  1. Surfing With The Alien – 4:25
  2. Ice 9 – 3:59
  3. Crushing Day – 5:14
  4. Always With Me, Always With You – 3:22
  5. Satch Boogie – 3:13
  6. Hill Of The Skull – 1:48
  7. Circles – 3:28
  8. Lords Of Karma – 4:48
  9. Midnight – 1:42
  10. Echo – 5:37
<><><>
===============================================================

Joe Satriani Satch Boogie Live

Comentários
  1. Felipe Djinn diz:

    ótimo post velho….parabéns…

    valeuu !!!

  2. Josenir diz:

    ACHEI O BLOG DO MANO MUITO BOM TEM MUITA COISA BOA PRA APRENDER

Escreva sua reposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s