Arquivo de Agosto, 2011

15 Greatest Tapping Licks
Nesta serie Guthrie Govan [guitar instructor] do GT Magazine mostra como esta técnica muitas vezes incompreendida pode ser adicionada ao seu vocabulário de guitarra para aplicar seja no rock, blues, country, metal ou qualquer outra coisa… O Tapping rendeu um nome negativo para alguns tocadores, talvez orgulhando-se de sua tonalidade, sabor e sensibilidade, tendem a descartar tudo tocando apenas no território do Hair-Metal – Guitar Hero, como uma técnica adequada somente para perpetrar os piores tipos possíveis de exageros, histrionismos dissonantes, de preferência tocados através de uma parede de amplificadores que “vão até o teto”.

(mais…)

Anúncios

Jose Feliciano – Latin Fingerstyle

A música é construída sobre uma mudança de acordes harmonicamente interessante de Am para F#m. Esses dois acordes não estão relacionados através de uma escala. No entanto, se você considerar que o acorde de F#m está relacionado com a escala F#m pentatônica, que por sua vez é apenas uma pentatônica de A, então a mudança do acorde/chave pode ser interpretado como uma mudança de Am para A maior. Este processo é muitas vezes referido como “intercâmbio modal”.  Simplificando, este é um processo pelo qual você pode mover-se através de várias escalas paralelas ou modos (ou seja, escalas e modos com uma tônica comum ou nota-chave, por exemplo A) para acomodar progressões de acordes em particular. A abertura de 11 compassos são uma introdução instrumental para a música.

(mais…)

Metal Licks serie II

A música de fundo destes exercícios é um rock Groove genérico  em “D” no modo Dorian e a velocidade é de 120 bpm. Você vai ouvir cada lick duas vezes; inicialmente à meia velocidade e, posteriormente a todo tempo. Estes licks podem ser difíceis de tocar a toda velocidade, mas todos eles trabalham em uma variedade de ritmos, bastando para isso adaptá-los.

(mais…)

 “Violining”
Um  volume swell  ou “Violining” é um crescendo musical comumente associado com a guitarra elétrica. Violining funciona removendo o ataque de uma nota na guitarra, em seguida manipulando-a o  através do potenciômero de volume usando geralmente o dedo mindinho, Alternativamente, o efeito é conseguido com um pedal de volume.. É uma técnica de guitarra simples, que requer que você seja capaz de acessar o ‘potc. de volume de sua guitarra diretamente depois que você tocar uma nota. Isto é mais fácil com uma Stratocaster que uma Les Paul por isso, se você não pode alcançar o seu potenciômetro de volume, enquanto tocar uma nota você pode ter que martelar sobre a nota, em vez de arrancar.

(mais…)

Cracked “Whole Lotta Love”
Abaixo 10 licks Jimmy Page  signature  (essenciais) que poderão ser incorporados  facilmente ao seu próprio estilo de tocar… Todos os exercícios estão na tonalidade sempre popular de “E”, mas você será fortemente encorajado a experimentá-los em outras tonalidades pelo braço da guitarra e alterá-las ao redor, o que poderia afetar a forma como você digitá-los e sugerir suas próprias variações.

(mais…)

Larry Carlton licks
Este é um exercício que irá  trazer um sabor jazzy para o seu solo – além de aprender mais do processo sobre acordes alterados e idéias para construção de licks para improviso. Tecnicamente, estes licks são realmente menos difíceis do que alguns do material que você geralmente encontra por aqui. Do ponto de vista teórico, no entanto, eles são um pouco mais complexos, e a maioria desse material é destinado a tocadores que estão  acostumados com estudos de solos em pentatônica e modal. Por outro lado, é só conferir os compassos 1-8!

(mais…)