DESLOCAMENTO RÍTMICO

A demostração deste exercício desafia o cérebro mais do que os dedos, já que apresenta alguns licks muito convencionais em contextos rítmicos não convencionais. O truque é estar ciente do andamento básico da música, que está em pulse  4/4, embora a parte da guitarra integra grupos de três, cinco e sete notas em semicolcheias.

  • Síncope – quando uma nota é executada em tempo fraco ou parte fraca de tempo e se prolonga ao tempo forte ou parte forte do tempo seguinte. A síncope é regular quando as notas que a formam têm a mesma duração. É chamada de irregular quando suas notas têm durações diferentes.
  • Contratempo – quando a nota soa em tempo fraco, ou parte fraca de tempo, sendo antecedida, isto é, tendo no tempo forte ou na parte forte do tempo, uma pausa. (wikipedia)

———————————————————————————————————————————————————–

Esta transcrição elaborada por Guthrie Govan (GT Magazine1999 Spring)  se concentra em idéias polirrítmicas e deslocamento rítmico. Não são apenas as notas que fazem um riff, mas o modo como você executa-as. Coloque-as cuidadosamente , que no produto final será um riff com uma nova sensação …

Isso pode ser um pouco confuso no início, mas o benefício disso tudo é que você faz o lick ficar menos previsível: as notas continuam as mesmas, mas elas estão tocando em 4°s e 3°s tempos da velocidade original e isso dá a linha de um funk, um sabor interessante que ele nunca teve em sua versão original .

Melodicamente este é um território muito familiar, que é a escala pentatônica Mi menor (com algumas notas cromáticas aqui e ali), então todos os problemas técnicos estarão principalmente no domínio rítmico. O exercício foi dividido em 8 partes para facilitar a sua execução. A melhor maneira de explicar é ir direto ao assunto, então mãos à obra e vamos olhar o exercício abaixo.

F U L L    T R A C K S

———————————————————————————————————————————————————–

                         

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 1

<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 2


<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 3

<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 4

<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 5

retorna parte    1/2                 finaliza parte_  6/7/8

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 6

<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 7

<><><>

———————————————————————————————————————————————————–

Parte 8

<><><>

Resumindo:

article source: GT Magazine

Comentários
  1. Isto é uma verdadeira aula musical que além do post tem até a escala pentatônica Mi menor (com algumas notas cromáticas aqui e ali)!!!!!!!!!!!!!

  2. mariano diz:

    cavernoso isso aqui véi parabéns pelo post, blog e etc etc

Escreva sua reposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s