Técnicas de guitarra – Steve Morse licks

Posted: Novembro 29, 2010 in Técnica Animal, Técnicas - Guitarra
Tags: , , , , , ,

Steven J. Morse para quem ainda não conhece, é um guitarrista de rock Norte-Americano, conhecido por sua carreira solo e por seus trabalhos no Dixie Dregs e o no Deep Purple. Sua carreira abrange o rock, country, funk, jazz e fusões destes gêneros. Morse também tocou com a banda Kansas e toca com o Deep Purple desde 1994. (wikipedia)

http://www.stevemorse.com/

Nesta lição Esteve Morse demonstra algumas formas de bom gosto para incorporar seqüências de escala em improvisos de guitarra e criar atraentes linhas de solos com o objetivo de encontrar um equilíbrio satisfatório entre frases lentas ou curtas com as mais longas ou mais rápidas.

Uma maneira infalível para melhorar a sua destreza e velocidade é a prática rotineira de escalas executando-as em ascensão ou descendente em grupos de três, quatro, cinco ou seis notas (ou mais). Um problema surge, porém, quando um guitarrista repete estas seqüências literais em solos e acaba soando mais como se ele estivesse praticando do que tocando e isso é algo que deve ser evitado. O som deve sair idealmente  espontâneo, inspirado e intuitivo. ( Esteve Morse)

Este exercício ilustra o que Steve  chama de  “G “hybrid scale” “: ( G A Bb C Db D E F). É essencialmente uma combinação da escala de blues em Sol menor (G Bb C Db DF) e o modo Dorian G (G A Bb C D E F). Foram escolhidos especificamente esses grupos de notas, pois, como uma unidade, eles possuem uma sonoridade suave e confortável.

GP

<><><>
.

GP 6

GP 6

<><><>

Este exercício  demonstra esta escala jogando um pattern descendente de grupos de quatro notas. Repare a palhetada alternada (baixo-cima-down-up) pegando a passagem inteira. Uma vez que você memorizou ele nos seus dedos, aumente gradualmente o tempo até  você poder tocá-lo rapidamente, mantendo sempre a clareza na sua articulação.

A primeira frase começa com um pattern descendente em dois  grupos de quatro notas   e termina
com um “sustained bend”; No segundo compasso, esse mesmo método aplica-se num segmento diferente da escala. Estas frases curtas são equilibradas na seqüência mais longa da escala descendente nos compassos 3 e 4. Para mim, o desenvolvimento de contraste e melodia que é conseguido com esta abordagem é muito mais interessante e atraente do que simplesmente tocar rapidamente contínuas sequencias de escalas. Uma ótima maneira de criar variações dentro de um padrão de escala é adicionar um “passing tone” – (nota de passagem) interligando ao tom de escala.

GP 6
.
<><><>

.
..

GP 6

Acrescentei uma nota que esteja fora da escala de  G híbrido  “F #”  a fim de criar uma frase de solo que é melodicamente suave e interessante. Observe também que eu uso a
corda G aberto, que tem um timbre diferente do que as notas de trastes.

<><><>

É benéfico para a prática da técnica, estudar escalas e teoria e memorizar os patterns e passagens mas  afinal o mais importante de tudo será aprender o desdobramento musicalmente satisfatório das frases usando os materiais que você possui. Sempre que você aprender um novo riff ou escala, tente cortá-lo em pedaços e crie novas frases fora delas. O objetivo é fazer a música a partir do que ouvimos em nossas mentes. Use as escalas para fazer melodias, e ter em mente que as frases musicais têm sempre um fim.

Comentários
  1. Alex diz:

    Cara, arrasou!!!
    Ótima postagem, parabéns, seu blog tem excelentes conteúdos, sou amante do violão, na igreja sempre arranho a guita, mas sinto dificuldades em algumas notas, este post veio na hora certa, parabéns!

  2. ANDRÉ guitarra diz:

    muito legal este blog nota 1000

  3. fernando diz:

    maneiro achei o blog agora a pouco e ja virei fa nandodeep

  4. […] S t e v e  M o r s e  L e s s o n s Steven J. Morse para quem ainda não conhece, é um guitarrista de rock Norte-Americano, conhecido por sua carreira solo e por seus trabalhos no Dixie Dregs e o no Deep Purple. Sua carreira abrange o rock, country, funk, jazz e fusões destes gêneros. Morse também tocou com a banda Kansas e toca com o Deep Purple desde 1994. (wikipedia) Nesta lição Esteve Morse demonstra algumas formas de bom gosto para incorporar … Read More […]

Escreva sua reposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s