Como Yngwie Malmsteen, Frank Gambale, Kiko Loureiro, entre outros guitarristas, conseguem tocar arpejos e escalas em altíssima velocidade? Além da palhetada alternada, o segredo está na técnica de sweep picking .

Esta técnica tem como objetivo  principal  economizar  movimentos de palheta. Portanto, é uma boa ferramenta para tocar frases em alta velocidade.  A palhetada alternada é um conhecimento indispensável para qualquer guitarrista, porém o seu desenvolvimento requer paciência e perseverança, porque exige muita precisão e esforço físico. O sweep também necessita de precisão, mas nem tanto esforço físico. Além disso,os resultados aparecem mais rápido .Resolvemos fazer uma lição especial com a qual você poderá se aprofundar nessa técnica.

O sweep também é conhecido como economic picking, deixa o som mais fluente. Sweep significa literalmente “varrer´´. É mais ou menos esse o movimento realizado pela palheta com o sweep. O princípio é manter a direção da palhetada quando você muda a corda. Mas é bom sempre lembrar que a técnica e a velocidade devem sempre estar  a serviço da música.Então, mãos à vassoura,   ops… à obra!

Vamos começar com a utilização do sweep sobre escalas. As digitações utilizadas em todos os exemplos estão padronizadas em três notas por corda. Para aplicar essa técnica em escalas, com este tipo de digitação , você fará uso também da palhetada alternada. Um dos truques para a execução do sweep é não interromper o movimento da palheta quando você for mudar de corda. Além disso, deve-se segurar a palheta com firmeza e tocar todas a notas com a mesma dinâmica. Cuidado para não perder o sincronismo dos movimentos.  Toque os exemplos com metrônomo, para manter um ritmo consistente e o som não ficar embolado.

O  ex.1 mostra através da escala de A maior, como você deve tocar uma escala no  sentido ascendente. Se você quiser um som parecido com o da palhetada alternada,, abafe as cordas com a palma da mão na ponte do instrumento.O ex.2 traz novamente a escala de A maior, mas desta vez, exemplificando seu uso descendente com sweep. No ex.3, ocorre a junção de ambas as digitações. È um exemplo extraído de Frank Gambale no qual é mostrado como deve se subir e descer.Preste atenção que, ao chegar na corda E aguda, são digitadas apenas duas notas, para que ocorra a inversão dos movimentos de palheta. Quando retornamos ao E grave, toca-se quatro notas para redirecionar as palhetadas. O ex.4 mostra, de maneira diferente, como digitar as escalas mantendo três notas por corda sem nenhuma variação. No primeiro compasso, executamos a escala de A  eólio feita de forma ascendente. No segundo é a vez  de       B lócrio, de maneira descendente.Esta é uma maneira bem conveniente para se tocar escala em alta velocidade por todo o braço.

GP 5

Aperte os cintos! Agora mostraremos como usar o sweep picking em padrões que podem incrementar seus solos. Os exs. 5 e 6 foram elaborados com base nas frases de Yngwie Malmsteen. Nestes dois exemplos, você trabalhará com quiálteras de sete notas, em semicolcheia na seguinte digitação: três notas na corda B e quatro notas na corda E. Note a importância do estudo  da palhetada alternada, pois esta técnica é constante nestes exemplos.Cabe ao sweep apenas a mudança de corda para torna-la mais fluente. O ex. 5, tem como objetivo interligar as escalas por todo o braço. O ex. 6, pode servir como lick e é baseado na escala de A menor harmônico. Experimente estas mesmas digitações em outras cordas e você terá um efeito surpreendente.

O ex. 7, também extraído da técnica de Malmsteen, mostra como tocar um pattern em sextinas, utilizando a escala de Am na quinta posição. É um padrão muito difícil de ser tocado e exige atenção especial na acentuação das notas, divisão rítimica e precisão nos movimentos de sweep.

O ex. 8 é a forma descendente do ex. 7, só que muito mais intrincado.Observe que neste exemplo, você tem mais seqüências com sweep. Veja que a direção da palheta é padronizada, sendo para cima na terceira e quarta notas e, para baixo , na quinta e sexta.

GP 5


Agora vamos exemplificar a utilização dos patterns anteriores ( Exs. 7 e 8 ) em um lick de quebrar os dedos. Os primeiros dois compassos do Ex. 9 equivalem ao ex. 7. O terceiro compasso, que deve ser executado com muita atenção, corresponde à mudança de eólio para lócrio. Veja que são tocadas sei notas na corda E aguda, para manter o sweep padronizado .Os compassos 4 e 5 apresentam o mesmo padrão do ex. 8, porém no modo lócrio. Esta é uma excelente forma de você ligar os modos com os padrões.

O Ex. 10 tem a combinação perfeita de sweep com palhetada alternada. Diferente dos patterns anteriores, este é feito horizontalmente, passando por quase todas as posições da escala de Bm.  O  primeiro tempo de todos os compassos foi  extraído  do ex. 7. O segundo tempo é feito apenas com palhetada alternada.

GP 5

Veremos agora como tocar pentatônicas utilizando a técnica de sweep , o que poderia parecer impossível, pois em geral, essa escala apresenta duas notas por corda, tornando inviável a técnica de sweep. O ex.11 traz a escala pentatônica Dm7 com sua digitação aplicada ao sweep . Observe que a fórmula para tocar esse tipo de escala é simples: Três notas em uma corda e uma nota na próxima, e assim por diante. Note que na corda E aguda, como no ex.3, você toca apenas duas notas para facilitar a inversão da palhetada. A execução da escala pentatônica com essa técnica é difícil, pois exige aberturas grandes. Execute essa idéia nas demais posições da escala.

Os exs. 12a e 12b demonstram a utilização da técnica de sweep em licks tradicionais de pentatônica em Dm. No primeiro lick, há uma frase no estilo de Richie Blackmore. Para a nota C ( casa 13, segunda corda ), use o dedo 3.  Para a nota A, na mesma corda, utilize o dedo 1. Para a nota G ( casa 12, terceira corda ), use o dedo 2. No segundo, temos uma frase que exige abertura de dedos. Essa frase é bem no estilo de Kirk Hammerr , do metállica . Faça a nota G (casa 15, primeira corda) com o dedo 4. A nota D (casa 10, primeira corda) deve ser feita com o dedo 1. As notas C e F (casa 13, primeira e segunda cordas) devem ser feitas com o dedo 3. Experimente essas frases com o wah wah.

GP 5

Chegou a hora de exemplificar o sweep em arpejos. Para isso, utilizaremos exemplos apenas em tríades, pois isso facilita o desenvolvimento da técnica em si. Utilizaremos shapes de cinco e seis cordas. Depois de assimilar todas as frases, procure novas sonoridades, adicionando ou substituindo com intervalos de VI, VII, IX…

O ex.13ª mostra como aplicar o economic picking em um arpejo de Am. O exemplo apresenta quiálteras de cinco notas em semicolcheia. Note a inversão da palheta entre as notas C e E . Após a inversão, respeite a indicação do pull of entre as notas E e C .  O ex. 13b demonstra o sweep em um arpejo em A. Os exs.13c e 13d apresentam a mesma palhetada dos dois exemplos anteriores. No exemplo 13c, mostramos o arpejo de A diminuto (I,IIIm, Vm). Para este exercício, você precisará abrir bem os dedos. No 13d, temos o arpejo de A aumentado (I, III, Vaum).Para realizar uma digitação perfeita, execute as notas E# e A com o dedo 2 ( casa 10, cordas G e B respectivamente)

GP 5

Estude melhor com GuitarPro

O ex. 14 é um lick formado apenas por arpejos, demontrando na prática a utilização dos shapes de cinco cordas em sextinas e semicolcheia. É um exercício excelente para desenvolver a precisão, pois, além de explorar todo o braço, trabalha com diversas tríades. Preste muita atenção nas inversões de palheta na corda E aguda e A.

Os exs. 15ª e 15b,são talvez os mais difíceis entre os mostrados até agora sobre arpejos. São desenhos executados nas seis cordas, e com grande extensão pelo braço. Estes exercícios se aproximam do estilo de Richie Kotzen.  Inicie o exemplo 15ª, que está em Am, com palhetada  e hammer on, como indicado. Ao chegar à nota A , faça outro hammer , até a nota C (casa 12, primeira corda) e execute o pull of até o C. Siga as indicações da palheta. As notas A e E devem ser feitas com o dedo 4 , como uma meia pestana. Esta é a passagem mais difícil do arpejo e deve ser muito bem estudada. O ex. 15b em A, segue os mesmos desenhos do ex. 15ª.

GP 5

Para finalizar a matéria e testar sua habilidade, preparamos um superlick de sweep picking . O ex. 16 inicia coma a escala de  Am em sextinas de semicolcheia. No quarto tempo do primeiro compasso, temos um arpejo em Am. No segundo compasso, emendado com o arpejo do compasso passado, damos continuidade à escala de Am , na 8ª posição. No começo do segundo tempo, há uma seqüência de arpejos diminutos, feitos em semicolcheia, que segue desta maneira até o primeiro tempo do compasso 3.

Observe as indicações de slide, para que você possa fazer a inversão correta da palheta.  A partir do segundo tempo do terceiro compasso, temos uma seqüência de arpejos diminutos, iniciando em B , progredindo para D,  e depois F. Neste trecho, é usada a mesma técnica do Ex.14. Por fim, no último compasso, Há um arpejo de Am executado na casa 17, com utilização do shape de seis cordas. Faça a memorização deste lick compasso poro compasso e respeite a divisão. Experimente este mesmo lick alterando suas escalas e arpejos e mantendo sua estrutura técnica.

GP 5

Para bom desenvolvimento do sweep, mantenha sempre estes conselhos em mente:

  • Memorize bem os exercícios para tocá-los com perfeição.
  • Nunca se esqueça de olhar a indicação do sentido da palhetada.
  • Estude de forma lenta.
  • Marque rigorosamente os tempos.
  • Mantenha a palheta firme nos dedos.
  • Ataque com a palheta um pouco inclinada, tanto de forma ascendente quanto descendente.
  • Tome cuidado para que as notas não saiam emboladas. Sincronismo é essencial.
  • Não ponha a carroça na frente dos bois, respeite os seus limites e lembre-se: a música está a cima de tudo.

fonte::    http://guitarplayer.uol.com.br/

 

Comentários
  1. Anderson de Deus diz:

    ola!!!

    muito muito bom estas informações parabens.

  2. Eric diz:

    Excelente post!!
    Blog sempre muito bem atualizado!

  3. ramon diz:

    Olá Pessoal!!

    Meu nome é Ramon Domingos sou guitarrista profissional da cidade de Americana- SP, região de Campinas, eu tenho um blog direcionado aos guitarristas (www.guitartechnical.blogspot.com) sou colunista em alguns outros sites e desenvolvo métodos de ensino para guitarra, toco em uma banda de rock clássico, fazemos shows pela região, estou finalizando uma pré produção de um primeiro albúm instrumental de minha autoria, fora essas atividades sou professor de guitarra aqui na cidade, lecionando em uma escola.

    Estou procurando alguma oportunidade para mostrar meu trabalho, seja com lições de guitarra, colunas, liçõess com vídeos, transcriçoes, enfim gostaria muito de compartilhar aquilo que aprendi em alguns anos de estudo e pesquisa com o público da guitarra no Brasil, me coloco a disposição de vocês caso tenham algum interesse em alguma parceria ou algo do tipo

    Desde já agradeço

    Ramon Domingos

Escreva sua reposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s